sábado, 12 de fevereiro de 2011

Ary Barroso - 1903/1931 - Parte 1

Ary Evangelista Barroso nasceu m Ubá, Minas Gerais, no dia 07 de novembro de 1903. Seus pais, o Dr. João Evangelista Barroso, e sua mãe, Angelina de Resende Barroso, morreram em 1911. Ary passou a ser criado pela avó, Gabriela Augusta de Rezende, e por uma tia, Rita Margarida de Rezende.
Tia Ritinha era professora de piano, e durante muito tempo ensinou o menino a tocar esse instrumento. Essas aulas acabaram por ajudar no ganha-pão da família. Aos doze anos, começou a trabalhar como pianista auxiliar no Cine Ideal, apesar do empenho da avó e da tia em fazê-lo padre. Aos 15 anos, Ary compôs o cateretê De Longe e a marcha Ubaenses Gloriosos. Abaixo, Ary Barroso quando era ainda menino:



Aos 17 anos, em 1920, Ary recebeu uma herança de 40 contos de réis e resolveu mudar-se para o Rio de Janeiro. Lá, matriculou-se na Faculdade de Direito e acabou gastando sua herança nos melhores restaurantes, com as melhores bebidas e trajando as roupas mais elegantes. Em 1922, reprovado na Faculdade e já sem dinheiro, teve de trabalhar, fazendo fundo musical para filmes mudos no Cinema Íris, no Largo da Carioca.
Em 1926 ele voltou ao curso de Direito, porém sem deixar a atividade de pianista de lado. Como estava desempregado, oferecia-se para tocar em bailes por um preço irrisório. Em 1928, foi contratado pela orquestra do maestro Spina, de São Paulo, para uma temporada em Santos e Poços de Caldas. Foi nessa época que Ary resolveu dedicar-se à composição. Abaixo, o jovem Ary Barroso:



De 1928 são suas composições Amizade, Não Vou Lá, Segura a Fazenda, Amor de Mulato e Oh! Nina, em parceria com Lamartine Babo, entre outras.
Em 1929 já de volta ao Rio de Janeiro, Ary teve sua música Vamos Deixar de Intimidade gravada por seu amigo e colega de faculdade Mário Reis. Esse foi o primeiro sucesso de Ary Barroso. Ouça a música Vamos Deixar de Intimidade:

video

Em 1929 Ary concluiu seu curso de Direito e compôs a marcha Dá Nela, que venceu o concurso de músicas carnavalescas da Casa Edison para o Carnaval de 1930. Com o prêmio de 5 contos de réis, ele pagou algumas dívidas e se casou com Ivone Belfort de Arantes:




Ainda em 1930, Ary compôs várias músicas: Como Se Deve Amá, Quanto Num Chorei, a marcha Eu Sou do Amor, os sambas Oba! e Samba da Gelatina, entre outros.

Em 1931, Ary produziu várias composições para o teatro musicado, destacando-se Faceira, lançada por Sílvio Caldas. Mas sua música mais famosa, nesse ano, seria No Rancho Fundo, em parceria com Lamartine Babo. Abaixo, Sílvio Caldas:

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...