sábado, 11 de dezembro de 2010

1910 - Centenário de Noel Rosa - 2010

Noel de Medeiros Rosa nasceu no Rio de janeiro em 11 de dezembro de 1910. Exatamente hoje ele estaria completando cem anos de nascimento...
Noel Rosa é considerado um dos maiores artistas do Brasil. Foi sambista, cantor, compositor, bandolinista e violonista, e tudo isso em apenas 27 anos de vida. Pois é...ele morreu aos 27 anos, em 1937, e já consagrado como um dos "grandes"...Imaginemos o que teria acontecido se ele tivesse tido mais 20 ou 30 anos de existência...
Ele foi um dos maiores responsáveis em trazer o samba dos morros para o asfalto, isto é, para as rádios e para os ouvidos da classe média. Dessa forma, ele contribuiu para que o samba não ficasse restrito às classes humildes, e conquistasse como música nacional.
O parto do bebê Noel Rosa foi difícil, feito com fórceps e ele ainda teve problemas com o desenvolvimento da mandíbula, provavelmente Síndrome de Pierre-Robin. Por isso a aparência de pessoa sem queixo.
Sendo de classe média, Noel teve ao seu alcance a carreira de médico. Mas preferia passar as noites pelos bares, bebendo cerveja, fumando muito, tocando bandolim e outros instrumentos que aprendeu a tocar.
Em 1929, ele arriscou a fazer suas primeiras composições, mas foi em 1930 que o sucesso chegou, com a música "Com Que Roupa?":

Agora vou mudar minha conduta, Eu vou pra luta,
Pois eu quero me aprumar, Vou tratar você com a força bruta
Pra pode me reabilitar, Pois esta vida não ta sopa
E eu pergunto: com que roupa, Com que roupa, que eu vou,
Pro samba que você me convidou?


Em 1931 ele compôs Gago Apaixonado, que fez sucesso por fazer uma declaração como se fosse um gago de verdade.
Em 1932 compôs Adeus e Uma Jura Que Fiz.
Em 1933 compôs Quem Não Quer Sou Eu, Fita Amarela e Feitio de Oração.
Em 1934 compôs Feitiço da Vila e O Orvalho Vem Caindo.
E em 1935, uma de suas obras primas: Conversa de Botequim, que trata de um cliente que além de não pagar a conta, ainda fica incomodando o garçom:

Seu garçom faça o favor de me trazer depressa
Uma boa média que não seja requentada
Um pão bem quente com manteiga à beça
Um guardanapo e um copo d'água bem gelada
Feche a porta da direita com muito cuidado
Que eu não estou disposto a ficar exposto ao sol
Vá perguntar ao seu freguês do lado
Qual foi o resultado do futebol
Se você ficar limpando a mesa
Não me levanto nem pago a despesa
Vá pedir ao seu patrão
Uma caneta, um tinteiro,
Um envelope e um cartão,
Não se esqueça de me dar palitos
E um cigarro pra espantar mosquitos
Vá dizer ao charuteiro
Que me empreste umas revistas,
Um isqueiro e um cinzeiro
Seu garçom faça o favor de me trazer depressa...
Telefone ao menos uma vez
Para três quatro quatro três três três
E ordene ao seu Osório
Que me mande um guarda-chuva
Aqui pro nosso escritório
Seu garçom me empresta algum dinheiro
Que eu deixei o meu com o bicheiro,
Vá dizer ao seu gerente
Que pendure esta despesa
No cabide ali em frente
Seu garçom faça o favor de me trazer depressa
Uma boa média que não seja requentada
Um pão bem quente com manteiga à beça
Um guardanapo e um copo d'água bem gelada
Feche a porta da direita com muito cuidado
Que eu não estou disposto a ficar exposto ao sol
Vá perguntar ao seu freguês do lado
Qual foi o resultado do futebol


Noel compôs com Lamartine Babo, Ismael Silva, Francisco Alves e João de Barro, entre outros, em mais de trezentas composições.

video

*** quando eu era criança, ouvi, certa vez, uma música, que me chamou a atenção...Estávamos na praia e tínhamos somente um rádio para se distrair, à noite. De repente, aquela música começou a me chamar a atenção, pois falava em morte. Não sei porque, mas gravei aqueles versos, sem saber que estava "gravando na mente", um sucesso de Noel Rosa, Fita Amarela...A letra era assim: Quando eu morrer, não quero choro, nem velas, quero uma fita amarela, gravada com o nome dela...Devia ter uns 7, 8 anos de idade...

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...